29 de setembro de 2013

Short-Fic Gay? Eu? por Paula Halle - Capitulo 11


Bom dia pessoal!
Dia errado mas estou aqui....
Boa leitura!


Capítulo 11

Já estávamos na hora de sair e eu não havia visto Bella, estava começando a me sentir ansioso.

Quando deu meu horário sai da minha sala e fui para a de Bella, passei pela recepção e James já arrumava suas coisas para ir. Acenei para ele e comecei a ir em direção a sala de Bella, mas ele se colocou em minha frente.

– Hmmm, James?

– Como você pode?

– O que?

– Achei que havia algo de especial entre nós.

– Havia?

– Claro que havia, as trocas de olhares, os flertes, nós temos algo especial Edward. – ele ergueu a mão tentando colocar em meu rosto e dei um passo para trás.

– James, você entendeu errado...

– Não, eu entendi tudo certo. Mas como sempre aquele ser odioso nos atrapalhou.

– Que ser odioso?

– Ora a mulher. A mulher nos seduz e nos tira do nosso caminho, mas escute Edward Cullen, essa atração não durara muito, e logo seus verdadeiros desejos irão assumir o controle, e saiba que talvez você tenha perdido a melhor coisa da sua vida.

– Que seria?

– Eu. – jogou o cabelo para trás e saiu apressadamente sem olhar para trás. Percebi que a secretaria de Bella e Rose me encaravam em choque e senti minhas orelhas ficando vermelha, praticamente fugi de volta para minha sala.

Peguei o telefone e chamei a sala de Bella, esperei e nada só tocava. Desanimado sai e fui pro elevador. Era melhor ir embora, ela já devia ter ido mesmo.

– Edward. – virei e Bella corria esbaforida até mim.

– Oi. – sorri e ela sorriu alegremente, mas depois pigarreou e ficou seria.

– Olá.

– Você está bem? – me aproximei dela e ela forçou um sorriso e tocou meu peito.

– Sim, ótima, incrível, fenomenal. – a cada palavra era um tapa e me afastei esfregando o peito.

– Ok... – o elevador chegou e dei passagem ela que forçou o sorriso novamente e entrou, a segui e ficamos em silêncio enquanto as portas se fechavam

O clima estava meio estranho e tenso, Bella estava afastada de mim e comecei a bater o pé nervosamente, ela me lançou um olhar irritado e parei meu pé imediatamente.

– Tu... tudo bem, Bella? – ela forçou aquele sorriso novamente e veio em minha direção, um pouco assustado comecei a me afastar, mas estávamos ainda no elevador e fiquei contra a parede.

– Por que Edward? Você sabe se algo não está bem? Se algo devia não estar errado? – ela ficou muito próxima e engoli em seco.

– Eu... Eu não sei.- Ela me interrompeu.

– Acho que você sabe sim. – Afundou seu dedo em meu peito e me cutucou enquanto praticamente rosnava. – acho que você sabe exatamente o que está acontecendo.

– Bella você está me assustando. – Falei quase arregalando os olhos e ela se afastou. Esfreguei o peito novamente, poxa eu preciso mesmo ir a uma academia.

Ela continuou de costas pra mim e pensei em chamá-la, mas ela se virou de repente me encarando com fúria e se pudesse me espremia mais contra a parede, mas antes que eu pensasse em escapar ela estava colada em mim.

Sua boca grudada na minha e suas mãos em meu peito, gemi a agarrando pela bunda e a esfregando contra mim, ela gemeu afastando nossos quadris o suficiente para colocar sua mão entre nossos corpos. Praticamente rosnei ao sentir sua mão sobre meu pau.

– Bella... – arfei afastando a boca da dela, minha respiração saindo em ofegos. Ela sorriu começando a beijar meu pescoço, mordiscando e lambendo, sem nunca deixar de esfregar meu pau.

De repente ela se afastou e a olhei confuso, vi as portas se abrindo e grunhi.

– Vamos pra minha casa. – praticamente mandei já querendo puxar ela pro meu carro, mas ela negou

– Não.

– Sua casa?

– Não.

– Hmmm então onde?

– Lugar nenhum.

– Mas eu pensei... – cocei a nuca e ela arqueou uma sobrancelha.

– Pensou o que?

– Eu... eu... Bella eu fiz algo errado? – a olhei meio desesperado e ela mordeu o lábio e começou a se aproximar, mas parou e me olhou seria.

– Não sei, você fez? – ela me olhou estranhamente e mordi o lábio.

– Hmmm, não? – acabou soando com uma pergunta e ela suspirou.

– Ok, eu preciso ir.

– Eu posso te ligar?

– Melhor não, nos falamos amanhã.

– Oh, ok. – minha cara devia ser de cão abandonado e triste fui até meu carro.

Entrei no volvo me sentindo vazio e desanimado e fui para casa. Não havia muito que fazer, não iria impor minha presença a ela.

Dirigi o mais rápido que podia, não havia transito e cheguei rápido em casa, e nem sinal de Emmett, fui direto para meu quarto e me joguei na cama.

Vasculhei a mente tentando pensar no que podia ter feito de errado. Lógico que eu mentia descaradamente para ela, mas Bella nem fazia ideia. Deve ser outra coisa...

Continuei pensando no que poderia ter causado o afastamento de Bella, mas nada me vinha, a única coisa que ocorreu foi a visita do meu pai, será que ela estava preocupada com a reação da minha família?

Me levantei começando a andar de um lado para o outro, eu precisava explicar a ela, que eu não deixaria nada nos atrapalhar.

Merda eu a amava....

Cai sentando na cama pensando no que acabei de descobrir, eu amava Bella. E tentei me sentir extremamente feliz com isso, mas isso só mostrava como eu estava fudido.

Pois eu ainda mentia para ela.

O que eu faço?

[...]

Cheguei à empresa e James virou a cara quando me viu, suspirei e fui para minha sala. Se Bella não queria me ver, não imporia minha presença a ela; mesmo que isso fizesse meu coração se partir em pedacinhos.

Entrei na minha sala e tentei me concentrar no trabalho, mas até isso estava complicado. Passei o dia todo fechado em minha sala trabalhando nos meus desenhos, já passava das cinco quando sai da sala, precisava mostrar a Rose alguns desenhos.

Sai da sala e James não estava, suspirando aliviado segui para a sala de Rose e a secretaria me anunciou, assim que entrei, quis ir embora, Rosalie me olhava mortalmente.

– Hmmm, eu trouxe... – forcei um sorriso e mostrei os esboços, ela respirou fundo e assentiu.

– Certo vamos ver.

Ficamos uma meia hora escolhendo alguns tecidos, e depois de resolvermos os detalhes ela olhou para o relógio.

– Eu preciso ir, tenho um encontro com Emmett.

– Ah... ok, eu já vou. – sai de sua sala e dei de cara com Bella que sorriu.

– Oi Edward.

– Bella. Tudo bem? – ela sorriu.

– Ia atrás de você.

– Ia? – a esperança devia estar borbulhando em minha voz, pois ela sorriu.

– Sim. Que tal jantarmos juntos?

– Vai ser ótimo. Eu só preciso guardar umas coisas.

– Ok eu te espero na recepção.

– Tudo bem. – praticamente corri, entrei na minha sala e guardei as coisas, peguei minha carteira, chaves e o celular e fui para a recepção.

Bella estava ali ainda sorrindo e assim que me aproximei peguei sua mão, ela sorriu e beijei seus lábios demoradamente, sem aprofundar o beijo, só sentindo a maciez da sua boca contra a minha. Ela suspirou tocando minha bochecha com sua mãozinha delicada e suspirei de contentamento me afastando dela.

– Eu senti sua falta.- Confessei.

– Oh Edward eu também. – dei outro beijo nela mais rápido dessa vez e a puxei para os elevadores.

– Aonde quer ir?

– Que tal aquele restaurante que almoçamos?

– Perfeito.

Coloquei o elevador para irmos ao térreo em vez da garagem e ficamos de mãos dadas todo o caminho. Bella parecia melhor hoje, menos tensa e não estava me agredindo o que era bom também.

Assim que saímos para a rua seguimos em direção ao restaurante, sua mão nunca deixando a minha, o que só me fazia sorrir como um idiota. Chegamos ao restaurante e o ambiente que antes fora estranho pelo romantismo dessa vez estava perfeito.

Puxei a cadeira para Bella que sorriu se sentando, me sentei a sua frente e volte a segurar sua mão. Eu sei que estou agindo como um idiota apaixonado, mas eu não podia evitar, eu era um idiota apaixonado e eu só queria dizer a ela.

– Então eu não vi você hoje... – Bella começou mordendo o lábio e tentei sorrir.

– Eu fiquei na minha sala trabalhando.- Fingi dar de ombros.

– E não foi me ver?

– Achei que você não queria me ver.

– Oh Edward... – ela tocou meu rosto e fechei os olhos apreciando seu toque.

– Boa noite, serei sua garçonete o que vão querer? – nós olhamos para a jovem que sorria para nós.

– Bella?

– Uma lasanha.

– O mesmo pra mim, e traga um vinho.

– Sim senhor. – ela saiu e voltei a fitar Bella.

– Eu fiz algo errado? Pode falar Bella, se você não quer mais continuar o nosso namoro, eu vou...

– Nós somos namorados?

– Não somos? – ela riu.

– Bem devemos ser. Eu não quero terminar Edward, eu só... – ela mordeu o lábio e abaixou os olhos, deu um longo suspiro e continuou. – É só essa situação.

– Situação?

– Bem, você é um ex-gay. E se você perceber que prefere homens ao invés de mim? Não suportaria ser trocada de novo.

– Isso nunca aconteceria. – falei praticamente indignado até perceber que estava só percebendo os efeitos das minhas mentiras.

– Eu não sei Edward...

– Bella, por favor, acredite em mim, eu nunca a magoaria, eu quero você.

– Nunca? – ela arqueou uma sobrancelha e sorri.

– Nunca, eu não mentiria para você.

– Jura?

– Sim, eu nem gosto de mentiras.

– Oh isso é maravilhoso Edward. Saber que você não mente. – ela frisou a palavra mente e fiz uma careta.

Merda eu a havia mentido pra ela, tive a decência de abaixar os olhos, estava envergonhado de mim mesmo.

Eu devia dizer tudo a ela.

– Oh Edward... – ela segurou minha mão e tentei sorrir. – Isso é o que adoro em você. Você é tão honesto, nunca me magoaria, nunca mentiria para mim É. O. HOMEM. DOS. MEUS. SONHOS. – ela grunhiu apertando meus dedos a cada palavra e fiz uma careta tirando a mão da dela.

– Você é bem forte hein. – esfreguei a minha mão e ela riu.

A garçonete voltou trazendo vinho e nos serviu, Bella deu um longo gole e mandei a moça deixar a garrafa.

– Então onde estávamos? – Bella falou quando a moça sumiu e respirei fundo.

– Bella eu preciso te dizer uma coisa.

– Diga.

– Eu bem... Merda... – abri a boca querendo dizer toda a verdade, mas meu celular tocou. – Com licença.

O peguei estranhando ao ver o nome de Emmett, atendi um pouco receoso.

– Alô?

Edward não conte nada a ela.

– Emmett, o que houve?

Ela sabe de tudo.

– Eu acho que não entendi.

Bella sabe que você mentiu. – meus olhos se arregalaram e olhei para Bella que bebia um pouco de vinho.

– Tudo bem Edward?- Perguntou.

– Hmmm, sim. – assenti freneticamente e voltei a falar com Emmett. – Você tem certeza?

Sim, então não conte nada. Ou você já contou?

– Eu bem, ia fazer agora.

Então não conte nada. Venha pra casa que conversamos.

– Tem certeza disso?

Tenho sim.

– Ok, eu estou jantando com Bella, mas assim que acabar vou pra ir.

Tudo bem. – desliguei e guardei o celular e sorri para Bella.

– Está tudo bem?

– Sim, sim, tudo ótimo. Estou faminto.

– Então o que você ia me contar?

– Ah sim... hmmm, eu... Bem acho que terei problemas com James. – ela riu.

– Ele está caidinho por você.

– Pois é. – a garçonete veio com as comidas e mudei rapidamente de assunto.

[...]

Assim que terminamos o jantar, levei Bella para casa. Ela me convidou para entrar mas dei uma desculpa qualquer e dirigi diretamente para a minha casa.

As palavras de Emmett pipocavam em minha mente.

Bella sabia, agora seu comportamento fazia sentido. Mas por que ela continuava comigo eu não entendia. Ela devia me odiar e me chutar pra fora da sua vida! Mas não ela continuava ali, comigo.

Deus! Emmett devia estar enganado.

Entrei em casa e Emmett estava no sofá assistindo TV, assim que ele me viu ficou de pé.

– Isso é serio Emmett?

– Sim, Rose deixou escapar.

– Merda! –Baguncei os cabelos nervoso.- Ela te disse que Bella sabia?

– Não exatamente. Mas ela falou coisas como você é um gay de araque.

– Oh Merda!

– E quando eu perguntei o que ela quis dizer ela desconversou. Mas dava pra ver que ela mentia.

– Então elas sabem. Mas não faz sentido.

– O que?

– Se Bella sabe, por que ainda estamos juntos?

– Verdade. Ela tem agido estranho?

– Bem mais ou menos, ontem ela quase me agrediu... Oh Merda!

– Pois é, ela sabe.

– O que eu vou fazer? – sentei no sofá esfregando o rosto, e olhei para Emmett em busca de ajuda. Ele sorria e arqueia uma sobrancelha. – O que?

– Sabe, Bella não sabe que você sabe, e ela acha que você não sabe que ela sabe.

– Hein? – ele rolou os olhos.

– Você não entende, se ela não sabe você pode usar isso contra ela.

– Mas eu não quero mais mentir para Bella.

– Você não estará mentindo, só dando o troco. Por que você mentiu e ela podia ter te enfrentado, mas agora ela está mentindo também. Sabe o que isso quer dizer?

– Que somos um bando de mentirosos?- Ele bufou e revirou os olhos ainda rindo.

– Não, que ela quer te dar uma lição.

– Deus! Isso ta pior que antes.

– Mas agora é sua vez de dar uma lição nela.

– Acha mesmo?

– Com certeza, e eu tenho uma ideia perfeita.

– Qual? – perguntei com medo já.

– Você vai fingir que é gay.

Oh Deus! Tinha como essa merda ser mais confusa?

O Edward está precisando ir em uma psicóloga....tadinho, está tudo tão confuso!rsrsrs Terça tem mais capitulo pra vocês!

1 Comentários:

LAV RIBEIRO disse...

só mentiras seria tão mais facil falar a verdade

Postar um comentário

Regras dos Comentários:

*Não incluir links de sites, fotos, e videos nos comentários.
*Não será permitido nenhuma ofensa a atores, atrizes e afins.
*Discusões e ofensas ao site irão direto para spam.

Usem o bom senso. Qualquer outro limite ultrapassado, acarretará em você indo para o spam.

Obrigada desde já ao cumprimento das regras.

Equipe Cullen Family Brasil.